Arquivo da tag: minas gerais

Salinas – umburana

Salinas - umburana

Assim como o carvalho está para o whisky, a Umburana está para a cachaça.

Não há como não se maravilhar com o aroma e o sabor que esta madeira confere à aguardente de cana.

Dirão alguns que resultado lembra notas suaves de baunilha, outros que se trata de uma resposta gustativa emocional aos elementos fisico-quimicos presentes.

Tanto faz, o importante é que a cachaça repousada em tonéis dessa madeira perde acidez, ganha uma coloração amarelada, perfume amadeirado e sabor adocicado.

Existem várias opções disponíveis para repouso, mas quando se deseja desenvolver uma cachaça que atende todos os paladares, umburana, imburana ou simplesmente cerejeira, é a melhor opção.

E foi assim que a Salinas produziu, com sua já apreciada aguardente, essa versão deliciosa de ser provada pura ou em drinks delicados.

——————————————————————————————————

Cor: amarelo claro
Viscosidade: média
Aroma: levemente adocicado
Sabor: suave
Madeira: Umburana
Graduação: 42%
Apresentação: garrafa de 600ml

http://www.cachacasalinas.com.br/


Coluninha Ouro

Image

Tal qual a cachaça Coluninha Prata que lhe serve de base esta versão também é repousada.

A diferença na versão Ouro está no uso exclusivo de tonéis de carvalho e amburana.

Este processo lhe confere uma cor amarelo pálido e um sabor muito suave.

Ideal para ser consumida pura, se presta muito bem ao preparo de drinks e coquetéis.


Cor: amarelo claro
Viscosidade: alta
Aroma: cítrico que lembra cana de açucar
Sabor: picante, levemente adocidado.
Madeira: mistura de amburana e carvalho.
Graduação: 40%
Apresentação: garrafas de diversos tamanhos formatos e rótulos.
Fones: +55 31 3435 1201
+55 31 3422 0309

Asa Branca

Asa Branca

Uma boa cachaça entra as tantas que são produzidas em Salinas.

O sabor é levemente ácido e picante, lembrando as boas qualidades da cana-de- açúcar.

Talvez por conta da combinação de bálsamo e ipê em seu armazenamento, o aroma era adocicado e me lembrava erva-doce.

Boa alternativa para refeições mais encorpadas.


Cor: amarela
Viscosidade: baixa
Aroma: amadeirado
Sabor: levemente ácido e picante
Madeira: bálsamo e ipê
Graduação: 45%
Apresentação: garrafas de 600 ml
Fone: +55 38 3841-1410

Paraíso – carvalho

Paraíso - carvalho

A primeira vez que ouvi falar da Cachaça Paraíso foi em referência às maravilhas da culinária mineira encontrada em um dos recantos em que ela é comercializada às margens da rodovia Fernão Dias.

Quando se fala em Minas Gerais não dá para esquecer das comida temperada, doces elaborados e cachaças saborosas.

Toma-se “dois dedos” da bendita para entrar no clima. Vai enroscando a prosa, petiscando um torresmo, “bicando” a marvada, engolindo um caldinho de feijão e fechando com uma “talagada” antes de encarar a refeição.

E como esse é o melhor ritual para se saborear tudo isso, bastou o primeiro “trago” dessa “purinha” e não resisti;  já no sábado preparei uma feijoada e no domingo um frango com quiabo e ora-pró-nóbis. Duas refeições que eram precedidas e acompanhadas de singelos sinais do paraíso gastronômico que essa cachaça nos permite alcançar.

Êêê trem bão!
É minha genética mineira falando em primeira mão.

De amarelo ouro claro obtido pelo repouso por dois anos em tonéis de carvalho, esta garrafa de 2011 exala um suave aroma de cana que compõe  agradavelmente com o sabor levemente adocicado.

Tomando agora o último trago, dá vontade de pegar a estrada e seguir o rumo do meu coração.


Cor: amarela
Viscosidade: média
Aroma: amadeirado
Sabor: levemente adocicado
Madeira: carvalho
Graduação: 38%
Apresentação: garrafas de 700 ml
Fone:  +55 35 3251-1237

Puricana

Puricana

Cachaças de Salinas são sempre muito agradáveis e fáceis de saborear.

É o caso da Puricana que guarda uma tradição de mais de 20 anos iniciada com uma pequena produção artesanal destinada a consumo próprio e do pequeno estabelecimento comercial de seu idealizador, Sabino Pinto. Aos poucos a qualidade foi consolidando o mercado e hoje a Puricana é apenas uma dentre as várias marcas e qualidades de cachaça produzidas pela indústria.

O envelhecimento em umburana confere intensa maciez que arredonda e intensifica o doce sabor da cana.


Cor: amarelo dourado
Viscosidade: média
Aroma: levemente amadeirado
Sabor: adocicado, levemente amadeirado
Madeira: umburana
Graduação: 40%
Apresentação: garrafa de 670 ml

http://www.sabinosa.com.br
Fone: +55 38 3841-1589


Paraíso

Paraíso

Cachaça que me chegou pelas mãos de um bom amigo mineiro, exímio preparador de crocantes torresmos  que combinam maravilhosamente com estes doces tragos.

Produzida na cidade de Cambuquira que fica “coladim” em Três Corações, e que faz parte do Circuito das Águas no sul de Minas Gerais.

Repousada em pau-pereira, também conhecida como angelim-rosa, é a primeira bebida apurada nessa madeira que tive o privilégio de provar.

O que vim a saber pelas informações que me foram passadas pelo fabricante é que existem três variedades dessa madeira utilizadas para o envelhecimento e que podem ser combinadas  conforme o propósito que se deseja alcançar.

  • A branca retira a acidez e mantém a coloração natural da Cachaça;
  • Amarela retira a acidez e transmite uma coloração ‘amarelada’;
  • Vermelha retira a acidez e transmite uma leve coloração alaranjada.
A mais comum e que foi utilizada no envelhecimento dessa cachaça é a pereira branca.

Foi uma grata surpresa sentir tanto frescor nessa garrafa de 2010.

Branca, aromática e suave. Mesmo parecendo uma bebida forte, entrega suavidade e maciez ao paladar.


Cor: branca
Viscosidade: média
Aroma: neutro
Sabor: alcoólico
Madeira: pereira
Graduação: 38%
Apresentação: garrafas de 700 ml

Velha serrana Ouro

velha serrana ouro

Primeira cidade tombada pelo patrimônio histórico, a cidade do Serro é conhecida pela produção de queijos, um patrimônio imaterial daquela região.

A Velha Serrana é mais um exemplar de cachaça que pretende firmar aquela região como uma importante produtora de boas bebidas, ao par de Salinas e Januária.

Produzida com o apelo histórico da Estrada Real que ligava as cidades mineradoras do império ao porto de Paraty, é uma boa cachaça, mas exige paciência para ser apreciada.

Esta garrafa, do primeiro lote de 2009, apresenta sabor muito doce em contraste com uma leve percepção alcoólica.

O armazenamento em barris de carvalho deixa um gosto amadeirado que confunde e não chega a se destacar.


Cor: amarelo claro
Viscosidade: média
Aroma: alcoólico
Sabor: adocicado e alcoólico
Madeira: carvalho
Graduação: 40%
Apresentação: garrafa de 7o0 ml


Poesia

Poesia

Seria quase acidente, mas não.
Foi uma dor no peito,
como um raio de emoção
que nos rasga ao meio.

Minha filha amada
voando prá longe
em breve temporada
onde a vista não atinge.

Ali, convidativo no balcão
eleita pelo restaurante
a aguardente padrão
me oferece um gole ofegante.

Líquida poesia
me encontra desatento
com fina ironia.

Mas tem talento
que da alma cuida
e nos dá alento.

———————————————

Da Serra da Mantiqueira, sul de Minas Gerais, mais precisamente da Fazenda Santa Fé de Bogotá na cidade de Munhoz nos chega esta cachaça artesanal cheia de personalidade.

Apesar de jovem, começou a ser produzida em 2003,  ela é carregada de simbolismos que remontam ao primórdios da chegada da família de seus produtores à região onde ela é produzida.

Seu sabor levemente alcoólico é amaciado pelo breve repouso em tonéis de jequitibá,  que não afetam sua cor cristalina e tampouco mascaram o aroma cítrico da cana.

Sabor suave, levemente picante, aroma algo verde, fácil de beber.

A garrafa tem formato diferente e o rótulo é uma preciosidade.

É um convite a viver um tempo mais alegre, um ritmo mais lento. Um tempo de poesia.


Cor: branca
Viscosidade: média
Aroma:  adocicado
Sabor: suavemente adocicado e picante
Graduação: 42%
Apresentação: garrafa de 700 ml.

http://www.cachacapoesia.com.br/
Fone: +55 19 3862-9364


Flor de salinas

Flor de salinasA cachaça Flor de Salinas é produzida na fazenda Angico na cidade de Salinas.

É parte do portfólio do mesmo produtor da tradicional cachaça Sabiá, e conserva a experiência de mais de oitenta anos de história.

Repousada em tonéis de bálsamo adquire cor e maciez característicos desta madeira.

Esta garrafa, de 2010 é suave e fácil de degustar.


Cor: amarelo claro
Viscosidade: baixa
Aroma: levemente adocicado
Sabor: suavemente alcoólico
Graduação: 43%
Apresentação: garrafas de 600 e 700 ml.

Fone: +55 38 3841-3753


Meia lua

Meia lua

Mais uma digna representante da estirpe Salinense.

Herdeira da tradição produtora da cachaça Lua Cheia, seu proprietário Ailton Fernandes resolveu homenagear o pai e batizar sua bebida com o sugestivo nome de Meia Lua.

Pela qualidade, pai e filho são mesmo “bola cheia”.

Como é característico de bebidas descansadas por dois anos em tonéis de bálsamo, esta cachaça apresenta coloração clara, sabor suave e aroma agradável.

Apesar de seus 45 % de graduação, ela é muito suave.

Esta garrafa, de maio de 2011 é muito equilibrada e fácil de degustar.


Cor: amarelo limão claro
Viscosidade: média
Aroma: neutro
Sabor: levemente picante
Graduação: 45%
Apresentação: garrafa de 600 ml

www.cachacameialua.com.br
Fone: +55 38 3841-1344


Caribé

Caribé

Mantendo a tradição das bebidas produzidas na região de Januária – Norte de Minas Gerais, a Caribé é uma bebida de personalidade.

Isto se traduz em sabor forte e degustação marcante.

Produzida desde 1947 obedecendo aos princípios estabelecidos pelo patriarca da empresa que leva seu nome, esta cachaça é estandardizada. Ou seja, é produzida mediante a combinação da produção de pequenos fabricantes, ajustada para atender aos critérios de qualidade e finalmente repousada em tonéis de umburana para adquirir maciez, cor, sabor e perfume.

Esta garrafa, muito jovem, foi engarrada ainda em 2012 e apresentou cor e corpo muito equilibrado.

Ideal para acompanhar aperitivos como queijos fortes e embutidos.


Cor: amarelo claro
Viscosidade: baixa
Aroma: levemente adocicado
Sabor: suavemente alcoólico
Graduação: 48%
Apresentação: garrafas de 750, 950 e 2000 ml.

http://www.cachacacaribe.com.br/
Fone: +55 38 3621-1212


Erva doce

Erva doce

A Erva doce se autoproclama a cachaça light de Salinas-MG.

Mesmo sem entender como um destilado pode ser identificado como light, não há como negar que se trata de uma bebida leve e saborosa, qualidade que certamente fazem juz à brincadeira.

Digna representante dos produtos originários de Salinas, a Erva Doce apresenta ainda a vantagem de possuir uma excelente relação custo X benefício.


Cor: amarelo ouro
Viscosidade: baixa
Aroma: amadeirado doce
Sabor: levemente adocicado
Graduação: 39%
Apresentação: garrafa de 670 ml.

http://www.cachacaervadoce.com.br/
Fone: +55 38 3841-1677


Canarinha

Canarinha

Sempre presente em qualquer lista das melhores cachaças do Brasil, a Canarinha é referência de qualidade e carrega uma rica história que se confunde com a melhor tradição da bebida.

Concebida e industrializada por Noé Santiago, sobrinho do lendário Anísio Santiago, a Canarinha ganhou vida em 1981 na fazenda Olinda, distrito de Nova Matrona. Mas somente em 1983 recebeu rótulo e ganhou o mundo nutrindo a fama da cidade de Salinas/MG como celeiro de grandes cachaças.

Hoje, a tradição de alambicagem e repouso por três anos em tonéis de bálsamo, são mantidas pelos netos do senhor Noé.

No que depender deles, a Canarinha continuará a ser uma mas mais saborosas representantes de uma dinastia de mais de 70 anos da arte de produzir o melhor do legítimo destilado artesanal brasileiro.


Cor: amarelo ouro
Viscosidade: média
Aroma: amadeirado suave
Sabor: levemente picante
Graduação: 44%
Apresentação: garrafa de 600 ml.


Dominante

Dominante

Bebida forte, rústica, originária de Montes Claros – MG.

No rótulo apresenta-se como aguardente de cana estandardizada, do que deduzi tratar-se de bebida produzida pela soma do trabalho de pequenos alambiqueiros.

Também não apresenta indicação de que tenha sido envelhecida ou descansada, de modo que a cor levemente amarelada pode ser resultado da adição de algum corante ou caramelo.

Mesmo assim, o sabor não parece artificial como ocorre com a maioria das aguardentes comerciais destiladas em coluna e adoçadas.

Só por isso, reluto em nominá-la como cachaça como o próprio produtor deixou claro ao envasá-la em garrafa que tem o termo cachaça apenas sutilmente indicado no vasilhame.

Nesta garrafa de 2008 encontrei uma aguardente honesta.


Cor: amarelo claro
Viscosidade: média
Aroma: levemente alcoólico
Sabor: picante e suavemente alcoólico
Graduação: 41,4%
Apresentação: garrafa de 600 ml

Fone: +55 38 3223-2900


Dedo de prosa – Ouro

Dedo de prosa - ouro

O que já era bom ficou ainda melhor com o delicado envelhecimento em tonéis de carvalho.

A Dedo de Prosa branca já tinha sido apreciada e comentada aqui anteriormente. Agora ele é enaltecida pelo sabor delicadamente adocicado, levemente amadeirado mas que preserva um aroma neutro.

Excelente para se consumir pura na melhor tradição das boas cachaças.


Cor: amarelo
Viscosidade: média
Aroma: neutro
Sabor: suavemente amadeirado
Graduação: 40%
Apresentação: garrafa de 700 ml

http://www.cachacadedodeprosa.com.br/
Fone: +55 31 3776-7770


Isaura ouro

Isaura ouro

Produzida em Jequitibá – MG, esta bebida é resultado de mais de 25 anos de experiência na produção de cachaças. Por conta desta tradição foi incluída no rol de bebidas oficiais do roteiro da Estrada Real.

A produção é totalmente orgânica, como atesta o Instituto Mineiro de Agropecuária.

Para esta versão ouro, o destilado é armazenado em tonéis de carvalho por três anos.

Recentemente teve sua graduação alcoólica reduzida para 40% tornando-a ainda mais suave. Também foi equipada com um exclusivo bico dosador.

Estes cuidados evidenciam uma atenção maior ao público segundo uma diretriz que a posiciona melhor no mercado internacional.

Tudo isso garantem à Isaura uma suavidade e doçura facilmente percebidos na degustação.

A única nota de consideração, é que esta garrafa envasada em 2008, possuía uma quantidade um pouco maior de resídios do que normalmente se esperaria.


Cor: amarelo ouro
Viscosidade: baixa
Aroma: amadeirado doce
Sabor: levemente adocicado
Graduação: 40%
Apresentação: garrafa de 700 ml.

http://www.cachacaisaura.com.br/
Fone: +55 31 3776-7770


Carcará

Carcará

Carcará já foi cantado e decantado.

Cantado, o pássaro que já foi chamado de águia brasileira virou verso na canção de Chico Buarque (aqui).

Cientificamente é parente distante do falcão. Ave símbolo do cerrado brasileiro que em 2005 passou a representar a ABIN – Agência Brasileira de Inteligência.

Decantado e destilado, tornou-se cachaça na pequena cidade de Paineiras, região central de Minas Geiras.

Como o pássaro que lhe dá nome, esta cachaça é forte, arredia e impõe respeito.

Branca, de sabor e aroma marcadamente alcoólico. Esta garrafa de 2007 guarda um sabor que me fez pensar em cana queimada.

Não chega a descer rasgando, mas demora para pedir outra dose.


Cor: branca
Viscosidade: baixa
Aroma: alcoólico
Sabor: fortemente alcoólico
Graduação: 42%
Apresentação: garrafa de 600 ml.

Fone: +55 34 3211-9100


Néctar do cerrado

Néctar do cerrado

Cachaça produzida na cidade de Monte Alegre de Minas.

Após destilada em alambiques de cobre segundo os melhores preceitos do processo artesanal, repousa por pelo menos 18 meses em tonéis de Amburana, o que confere suavidade à bebida e uma cor brilhante indistinguível do branco.

Seu sabor é adocicado e sutilmente amadeirado distinguindo-se como um produto fácil de beber.

Embora seja produzida por um Engenho relativamente novo, ela demonstra respeito às melhores tradições da cachaça mineira e apresenta qualidade que a destaca entre as muitas marcas de bebida no mercado.


Cor: branca
Viscosidade: média
Aroma: levemente amadeirado
Sabor: adocicado, suavemente amadeirado
Graduação: 39%
Apresentação: garrafa de 700 ml.

http://www.nectardocerrado.com.br/
Fone: +55 34 3211-9100


Medalha de minas

Medalha de minas

Às vezes encontramos cachaças que nos levam a perguntar: – onde afinal estavam elas?

A Medalha de Minas é bebida dessa estirpe. Nunca ouvira falar, mas experimentando percebi que estava diante de uma bebida leve, suave e saborosa.

Envelhecida em tonéis de amburana, não guarda cor ou sabor acentuado, mas adquire frescor e leveza.

Legítima representante da região do Serro, tradicional produtor de boas cachaças.

Mais precisamente oriunda da Fazenda Horizonte Belo na Estrada Real de Minas Gerais, mesmo produtor da Cachaça Velha Serrana.


Cor: branca
Viscosidade: média
Aroma: levemente amadeirado
Sabor: adocicado, suavemente picante
Graduação: 40%
Apresentação: garrafa de 600 ml.

Fone: +55 38 3541-1673


Lua nova

Lua nova

A Lua Nova é uma cachaça produzida desde 1995 pelo Grupo Salinas com o mesmo rigor e cuidado artesanal em alambiques de cobre na produção de sua irmã Salinas.

Mas ao contrário desta, a Lua Nova é envelhecida em tonéis de umburana o que lhe confere cor, perfume e maciez.

É bebida leve e agradável capaz de atender aos paladares mais apurados.


Cor: amarelo claro
Viscosidade: média
Aroma: levemente amadeirado
Sabor: amadeirado, suavemente picante
Graduação: 42%
Apresentação: garrafas de diversos tamanhos

http://www.cachacasalinas.com.br/


Bento velho

Bento velho

Em Conceição do Mato Dentro, distante 150 quilômetro de Belo Horizonte está localizada a Fazenda Bento Velho.

A partir de canaviais cultivados sem o uso de agrotóxicos é produzida uma cachaça suave, de aroma leve e sabor inicialmente picante e progressivamente adocicada.

Destaque para sua cor castanho claro, resultado do repouso em tonéis de jatobá.

É fácil de beber e concebida para atender ao crescente apetite de consumidores exigentes daqui e do exterior.


Cor: castanho claro
Viscosidade: média
Aroma: levemente adocicado
Sabor: amadeirado e levemente adocicado
Madeira: jatobá
Graduação: 42%
Apresentação: garrafa de 700ml

Coluninha

Coluninha

Produzida desde 1995 foi batizada em homenagem à cidade de Coluna, localizada no nordeste de Minas Gerais.

É uma cachaça branca e de aroma adocicado, apesar do envelhecimento por dois anos em dornas de madeira nobre o que lhe confere um sabor complexo e único.

Na fabricação da coluninha é empregada a tripla filtragem, processo muito utilizada na fabricação de outros destilados.

Alardeado como peça de propaganda marketing, a tripla filtragem é capaz de eliminar todos os resíduos e proporcionar uma uniformidade de sabor. Mal utilizada, pode resultar um produto muito pasteurizado, inodoro e sem sabor.

A coluninha, combinando métodos artesanais, processos orgânicos e modernas técnicas se apresenta como uma grata surpresa de qualidade e sabor diferenciados que agradam paladares exigentes.


Cor: branca
Viscosidade: alta
Aroma: levemente adocicado
Sabor: cana adocicada e picante.
Madeira: mistura de amburana, jequitibá, ipê, castanheira do pará e carvalho.
Graduação: 40%
Apresentação: garrafas de diversos tamanhos formatos e rótulos.
Fone: +55 31 3422 0309

Hanavilhana

Hanavilhana

Saborosa aguardente produzida na cidade de Rubelita/MG, distante 30 quilômetros de Salinas, motivo pela qual estampa no rótulo o nome da cidade que já virou grife de cachaça.

De cor amarelo ouro claro, mas intenso, contrasta com o sabor delicado desta bebida engarrafa em 2005.

Embora tenha 45 graus, ela é leve e adocicada. Decerto como consequência do repouso em tonéis de bálsamo.

O nome não consegui decifrar, mas certamente tem alguma semelhança com a maravilha que é desfrutá-la.


Cor: amarelo ouro claro
Viscosidade: alta
Aroma: levemente adocicado e amadeirado
Sabor: adocidado, amadeirado
Madeira: bálsamo
Graduação: 45%
Apresentação: garrafas de 600 ml
fone: +55 38 38413579

Século XVIII

Século XVIII
Cachaça branca, muito forte, picante e com acentuado gosto de cana. Assim eram primeiras cachaças produzidas respeitando a mais pura tradição sucroalcooleiro. Será ?

Se depender do mais antigo engenho em funcionamento, assim era a bebida que se consumia no século XVIII. Por isso mesmo, é o nome do destilado produzido no Engenho Boa Vista, localizado na cidade de Coronel Xavier Chaves, próximo à cidade de Tirandentes.

Consta que teria funcionado na fazenda do Padre Domingos da Silva Xavier, irmão mais velho de Tiradentes.

Seis gerações separam os pioneiros produtores do atual proprietário, Sr. Rubens Chaves que a mais de 30 anos preserva os métodos tradicionais de produção artesanal imerso numa paisagem bucólica.

A século XVIII serve ainda de base para a produção da cachaça Santo Grau – Coronel Francisco Alves, já analisada aqui.

Tradicionalmente o destilado envelhecia em tanques de cimento revestidos de parafina antes de ser engarrafada. Por determinação do Ministério da Agricultura, o envelhecimento passou a ser feito em tanques de aço inox.

Esta garrafa degustada é do lote 3 da produção de 2007, de sabor mais forte, ácido e picante que aquela engarrafada em 2010 para a Santo Grau.

É uma purinha que merece ser degustada embalando a prosa de amigos.


Cor: branca
Viscosidade: alta
Aroma: levemente ácida
Sabor: picante, ácido e alcoólico
Madeira: não se aplica
Graduação: 40%
Apresentação: garrafas de 750 ml
Fone: +55 32 33571238

Providência

Providência

Chego em casa, sexta-feira, naquela abstinência.
Dias de contas a pagar, problemas a tratar.
No planalto corrupção, na Europa depressão, no Oriente repressão.

Tanto problema sem solução !
É preciso se acalmar e uma solução encontrar.
É preciso tomar uma providência.

E assim começo a contar a experiência que é degustar esta cachaça que já foi a preferida do ex-presidente Juscelino Kubitschek.

Surpreende que seja uma cachaça tão leve e suavemente adocicada sendo branca.  Não registra que seja, mas o descanso em tonéis de umburana certamente contribui para a leveza de seu paladar.

Segredos de uma produção que remonta aos anos quarenta quando começou a ser produzida na cidade de Buenópolis – MG.

Um bom amigo mineiro me contou que de tão apreciada, seu estoque evapora, como que por encanto, toda vez que sua esposa organiza jantares entre a amigas.

Ele meneia a cabeça e argumenta que vai ter que tomar uma providência, se ainda sobrar cachaça.


Cor: branca
Viscosidade: alta
Aroma: adocicado
Sabor: cana-de-açucar, suavemente adocicado
Graduação: 47%
Apresentação: garrafas de 600 ml

wagnerdaprovidencia@hotmail.com
Fone: +55 3837561174


Beiçuda

Beiçuda

Dia destes visito o Empório da Cachaça para me abastecer e me oferecem uma prova cega de uma nova cachaça que chegou por lá.

Branca, de aroma neutro. Dou uma beiçada e sinto o sabor pronunciado de cana. Cachaça suave que deixa uma bela coroa de lágrimas no copo.

Só então me apresentam a Beiçuda. Cachaça honesta comercializada em embalagem plástica.

Confesso que, pelo mesmo motivo que a loja relutou em colocar a bebida à venda eu não teria comprado e perderia a oportunidade de provar um produto de qualidade e bom preço.

Bidestilada e maturada em tonéis de aço inox na fazenda Felicidade – Distrito de Grota D´Água, cidade de Caetanópolis – MG, cidade próxima a Sete Lagoas, a Beiçuda é muito diferente das aguardentes populares que se encontra nas gôndolas de supermercado.

É cachaça para se degustar sem preconceito.

Em tempo, o Empório da Cachaça fica no Shopping da Lapa, na esquina das ruas Carlos Gomes com rua da Lapa (http://goo.gl/JAQ0M).


Cor: branca
Viscosidade: alta
Aroma: neutro
Sabor: cana-de-açucar, suavemente adocicado
Graduação: 42%
Apresentação: garrafas plástica de 500 ml e 920 ml

http://www.pedradelua.com.br
Fone: +55 31 3374 3150


Dedo de prosa

Dedo de prosa

A Dedo de Prosa é uma saborosa cachaça cujo nome remete a uma das tradições mais arraigadas ao cerimonial de degustação desta bebida, a confraternização que se arrasta pelo tempo em torno de uma boa conversa.

Contam que foi assim batizada em homenagem ao patriarca da família Germiniani, Sr.  Volveno, que tinha o hábito de sair para conversar com os amigos e degustar uma boa cachaça.

Na cidade de Piranguinho, região da Serra da Mantiqueira no sul de Minas Gerais, a bebida é produzida  de forma artesanal respeitando modernas técnicas que lhe garantem qualidade superior e excelente sabor.

A bebida, descansada em barris de louro-canela, possui sabor leve e muito agradável,  delicadamente picante.

Boa companhia para um ter dedinho de prosa com os amigos e jogar conversa fora.

Dedo de prosa também é encontrada na versão repousada em barris de carvalho.


Cor: branca
Viscosidade: média
Aroma: levemente adocidado
Sabor: suavemente picante
Graduação: 40%
Apresentação: garrafa de 700 ml

http://www.cachacadedodeprosa.com.br/


Bocaina

Esta bebida é uma criação de seu Toninho, engenheiro mecânico que em 1980 começou a trabalhar com a produção de açúcar e álcool e em 1992 enveredou pela produção de cachaça.

Com a expertise adquirida desenvolveu parcerias com a Universidade Federal de Lavras que culminaram numa delicada combinação de tecnologias e práticas artesanais.

Desde 1993 segue aprimorando este produto extraído das canas da região da Serra da Bocaina, em Lavras, Sul de Minas Gerais e que depois de destilados descansam em tonéis de madeira até aquirir cor e sabor característicos.

O resultado é uma cachaça muito suave, fácil de beber e deliciosa de se provar.


Cor: amarelo muito claro, quase branca
Viscosidade: média
Aroma: levemente cítrico
Sabor: suavemente adocicado, levemente amadeirado
Graduação: 40%
Apresentação: garrafa de 700 ml e outros tamanhos.

http://www.cachacabocaina.com.br


Gerais mineiro

Cachaça forte das terras altas de Montes Claros – MG, é bebida com 60 anos de tradição que impõe sua força e pede respeito.

Os três anos de repouso em tonéis de bálsamo lhe conferem cor e atenuam a rispidez da degustação.

Produzida pela Aguardente Santa Rosa era popularmente conhecida pelo mesmo nome. Foi rebatizada para evitar a confusão com outra bebida de mesmo nome produzida no Rio de Janeiro.


Cor: amarelo claro
Viscosidade: baixa
Aroma: alcoólico
Sabor: picante, levemente alcoólico
Graduação: 45%
Apresentação: garrafa de 700 ml

geraismineiro@bol.com.br


Maria da Cruz

Republico este post como uma justa homenagem à memória de José Alencar.

Cidadão, empresário, político e apreciador de cachaça que nos honrou com esta nobre bedida.

Que possa, onde estiver, brindar com amigos a vida pela qual lutou sem cessar.

Leia aqui o post original da cachaça Maria da Cruz.


Sabor de minas

Sabor de minas

O rótulo da cachaça Sabor de Minas possui um apelo tão clássico que é difícil acreditar que se trata de uma bebida que começou a ser produzida apenas em 2002.

Ele possui aquele popular estilo das fachadas e letreiros de restaurantes de comida tipicamente mineira.

Tudo isso evoca uma aura de respeito e tradição na hora de degustar seu líquido precioso.

E não decepciona, pois a bebida possui todas as características que fizeram a fama e conferem qualidade às melhores cachaças de Salinas/MG.

A Sabor de Minas é suave, levemente picante e quente. Seu particular envelhecimento em tonéis de bálsamo e jequitibá lhe dão um sabor picante que remotamente me lembrou cravos, mas pode ser apenas entusiasmo.

É uma excelente bebida para todas as ocasiões.


Cor: amarelo claro
Viscosidade: média
Aroma: levemente ácida e amadeirada
Sabor: suavemente picante, ácido e alcoólico
Madeira: blend (bálsamo e jequitibá)
Graduação: 42%
Apresentação: garrafa de 600 ml e diversos outros tamanhos

Santo grau – Coronel Xavier Chaves

Santo grau - Coronel Xavier Chaves

Figurando entre as quinze melhores cachaças do país no ranking Playboy 2009 e sendo a única branca, a Santo Grau de Coronel Xavier Chaves destaca-se como a melhor cachaça pura do Brasil.

Não é pouco. Embora as “purinhas” sejam largamente utilizadas no preparo de drinks, a degustação pura é mais frequente entre as bebidas envelhecidas. Isso porque o contato com a madeira reduz a sensação alcoólica da bebida.

Seguindo um modelo diferente de negócio a Natique S/A, detentora da marca Santo Grau, seleciona entre pequenos produtores artesanais de cachaça produtos de qualidade aos quais confere sua marca.

Ciente e responsável, preserva as indicações de origem e safra, cujos cuidados começam no corte manual da cana e na fermentação natural.

A origem do nome é uma referência ao melhor método de produção da cachaça em que se elimina a cabeça e o rabo, preservando-se apenas o corpo da destilação, a melhor graduação, o santo grau.

A Coronel Xavier Chaves é produzida na cidade mineira de mesmo nome pelo mais antigo engenho em funcionamento do país e que teria, inclusive, pertencido à tia e ao irmão de Tiradentes.

Curiosamente, depois de destilada ela descansa em tanques de cimento revestidos de parafina antes de ser engarrafada.

É uma bebida com mais de 250 anos de tradição cuja produção guarda as melhores características de uma deliciosa purinha.


Cor: branca
Viscosidade: alta
Aroma: levemente ácida
Sabor: suavemente picante, ácido e alcoólico
Madeira: não se aplica
Graduação: 40%
Apresentação: garrafas de 750 ml

Clube minas

A cachaça Clube Minas segue uma receita pouco comum ao mercado de destilados brasileiros, mas muito popular em outros mercados.

Assumidamente, ela se apresenta com um “blend”, ou seja, uma mistura de destilados cuidadosamente selecionados e armazenados em tonéis de várias qualidades com o propósito de obter uma bebida única.

O resultado, atestado por diversos prêmios, é uma bebida que remete às melhores qualidades do destilado genuínamente brasileiro.

O repouso é feito em barris de cerejeira (madeira da família da amburana), jequitibá-rosa  e jatobá. Estas últimas madeiras, pouco usuais, conferem uma alma especial à bebida.

A Clube Minas é produzida artesanalmente por um conglomerado de mais de 80 cooperados. Assim a bebida alcança qualidade, preço e capacidade de fornecimento à altura dos grandes produtores industriais. Isso sem perder a característica de produto artesanal.

O modelo alcança tanto sucesso que vem sendo copiado por pequenos produtores de outras regiões do país, interessados em ganhar escala e projeção para seus produtos.

A Clube Minas tem sabor agradavelmente único, revestindo-se de qualidades que lhe permitem ser consumida em qualquer situação por paladares dos mais variados espectros.

Também guarda a característica de ser comercializada em garrafas de 600ml tradicionais, porém transparentes e personalizadas. Algo raro e que cada vez mais se converte em critério de seletividade do produto.


Cor:  amarelo claro
Viscosidade: alta
Aroma: levemente  adocicado
Sabor: picante, sutilmente amadeirado
Madeira: cerejeira, jequitibá-rosa  e jatobá
Graduação: 40%
Apresentação: garrafas de 600 ml

http://www.coocachaca.com


Chico mineiro

Chico Mineiro

Não há roda de viola que não pontue a toada que celebrizou a dupla sertaneja Tonico & Tinoco. Chico, aqui mineiro pois melhor designa a região onde a lenda era narrada, seria o nome de um lendário boidadeiro cujas proezas eram transmitidas por gerações.

Ao lado da canção Menino da Porteira, são as canções mais conhecidas do grande público que enaltecem a figura do peão de boiadeiro.

Mas é em Chico Mineiro que toda a mística do peão se manifesta de forma mais intensa. O trabalho, a amizade, o companheirismo, a devoção à família e também os riscos e tragédias da profissão são ali cantados de forma rústica e poética.

Ao dar este nome a esta cachaça os produtores homenagearam todos os boiadeiros, mas principalmente João Xavier Borges, boiadeiro e depois fazendeiro que em 1922 iniciou timidamente a produção da cachaça cuja tradição se manifesta nesta garrafa.

É uma bebida forte, picante.

O repouso em tonéis de carvalho suavemente disfarça o aroma alcoólico e confere um perfume e sabor agradável.


Cor: branca sutilmente amarelada
Viscosidade: média
Aroma: levemente adocicado
Sabor: picante, sutilmente amadeirado
Madeira: carvalho
Graduação: 40%
Apresentação: garrafas de 50, 355, 600, 700 e 970 ml

http://www.cachacachicomineiro.com.br


Mineira serena

Mineira serena

Cachaça artesanal originária de zona rual da cidade de Abaeté – MG de qualidade comparável às melhores bebidas.

Cor,transparência e viscosidade agradáveis.

Aroma de fundo levemente cítrico e  adocicado.

O armazenamento em tonéis de bálsamo deixa a bebida, como atesta o rótulo, suave e gostosa. Mas decerto, a limpeza da degustação é resultado de uma destilação muito apurada e cuidadosa.

Degusta-se com prazer.


Cor: amarela
Viscosidade: média
Aroma: cítrico levemente adocicado
Sabor: sutilmente amadeirado
Madeira: bálsamo
Graduação: 42%
Apresentação: garrafa de 700ml


Valiosa

Valiosa

Apesar de sua alta concentração alcoólica, essa cachaça oriunda da região de Salinas – MG é leve, saborosa e fácil de beber.

Este exemplar, engarrafado em 2008 possui sabor cítrico, algo picante, o que é resultado do repouso em tonéis de bálsamo.

Convém elogiar a anotação da data de engarrafamento. Isso permite avaliar o sabor de uma mesma bebida ao longo do tempo.

A Valiosa é produzida na Fazenda Boa Vista, mesma produtora da cachaça Salineira, e guarda algumas semelhanças com aquela bebida.


Cor: amarelo esverdeado claro
Viscosidade: baixa
Aroma: amadeirado cítrico
Sabor: cítrico e picante
Madeira: bálsamo
Graduação: 44%
Apresentação: garrafa de 670ml


Caetano’s

Temos aqui uma bebida leve e agradável, de sabor delicadamente amadeirado que destaca o sabor dos barris de umburana em que descansa antes de ser engarrafada.

Mesmo assim, mantêm uma cor branca sutilmente amarelada.

Seu rótulo denota o cuidado e tradição característicos de outro produto da marca, a premiada cachaça Germana.

Decerto possui a mesma qualidade na fabricação, mas se as raízes são as mesmas o mesmo não se pode dizer de seu corpo e alma tem um quê de exclusividade que convida a um brinde.


 

Cor: branca
Viscosidade: alta
Aroma: levemente amadeirado
Sabor: suavemente picante e amadeirado
Madeira: umburana
Graduação: 40%
Apresentação: garrafa de 600ml

www.cachacagermana.com.br


Januária

JanuáriaCachaça originária de Montes Claros – MG.

É uma cachaça sem muitas pretensões. Básica, rústica e de sabor tradicional.

O sabor é forte, ácido e levemente alcoólico. Como convém às puras cachaças naturais e tradicionais.

Ideal para degustar com umas gotas de limão.


Cor: branca
Viscosidade: média
Aroma: neutro, levemente alcoólico
Sabor: fortemente ácido e levemente alcoólico
Madeira: não se aplica
Graduação: 36%
Apresentação: garrafa de 600ml

 


Seleta


Seleta

Cachaça de sabor encorpado, amadeirado e levemente alcoólico.

Forma boa coroa e entrega uma boa degustação.

É fabricada pela mesma destilaria que produz a boazinha, mas possui um corpo mais acentuado em razão de seu descanso de dois anos em tonéis de umburana que é uma madeira mais forte.

Cachaça simples de boa qualidade, que se destaca pelo homogeneidade.


Cor: amarelo escuro
Viscosidade: média
Aroma: suavemente amadeirado
Sabor: levemente alcoólico
Madeira: Umburana
Graduação: 42%
Apresentação: garrafa de 50ml, 120, 300ml, 600 ml, 670ml e 1000ml

http://www.vivaseleta.com


Saliníssima

Saliníssima

Tradicional cachaça produzida na região de Salinas.

Sem muitas pretensões, conserva a  tradição das cachaças artesanais de Minas Gerais.

Leve e fácil de apreciar. Ideal para toda ocasião.


Cor: amarelo claro
Viscosidade: média
Aroma: suavemente amadeirado
Sabor: levemente alcoólico
Madeira: Bálsamo
Graduação: 42%
Apresentação: garrafa de 600 ml


Sagarana

Sagarana

Deliciosa cachaça produzida na Fazenda do Cantagalo em Pedras de Maria da Cruz – Norte de Minas Gerais.

Possui a mesma “genética” da cachaça Maria da Cruz.

Entretanto, é muito mais fácil de degustar. Possui um aroma suavemente  amadeirado e sabor levemente picante que combina com petiscos leves.

Menos adocicada que a maioria das bebidas. Perfeita para todas as ocasiões.


Cor: amarelo claro
Viscosidade: média
Aroma: suavemente amadeirado
Sabor: cítrico, levemente picante e pouco alcoólico
Graduação: 43%
Apresentação: garrafa de 600 ml

http://www.fazendadocantagalo.com.br/


Insinuante

Insinuante

Com um nome desses pode-se pensar em qualquer coisa que nesse caso resultado final será um só: satisfação.

Essa cachaça é forte e de sabor marcante, levemente amadeirado.

Mais forte que a maioria, mas nada que assuste um bom degustador.

Atualmente ela é produzida pelo empresário Marcelo Ricaldoni Alves, mesmo produtor da cachaça Velha de Januária, mas a história da Insinuante começa às margens do Rio São Francisco no Estado de Sergipe pelas mãos da família Itabayana. Migrando para Minas Gerais, levaram a receita de uma boa cachaça sergipana para temperar o sabor mineiro.

Mais uma legítima representante de Januária-MG, cidade que figura entre os melhores centros produtores de cachaça.


Cor: amarelo claro
Viscosidade: média
Aroma: suavemente amadeirado
Sabor:  aromatizado, levemente alcoólico
Graduação: 48%
Apresentação: garrafa de 600 ml


Velha de Januária

Velha de Januária

Cachaça leve, de preço acessível, e fácil de degustar.

Armazenada em tonéis de umburana, adquire tonalidade suavemente amarelada e sabor alcoólico levemente amadeirado.

Nos moldes do padrão de qualidade da cidade de Januária (referência na produção de cachaça) possui graduação máxima e mesmo assim desce “redonda”, sem agredir o paladar. Perfeita para o dia-a-dia.

E ainda tem no rótulo um certificado de qualidade: Engarrafada por Marcelo… (que modéstia pouca é bobagem).

Velha, portanto, só a garantia de um bom trago.


Cor: amarelo claro
Viscosidade: média
Aroma: suavemente amadeirado
Sabor:  aromatizado, levemente alcoólico
Graduação: 48%
Apresentação: garrafa de 600 ml


Maria da Cruz

Esta cachaça foi degustada com os melhores ingredientes que podem acompanhar uma boa bebida.

O palco: Bar Amarelinho na Cinelândia, centro histórico do Rio de Janeiro. Cenário repleto de história e carregado de simbolismo.

Poderia ter sido uma das muitas boas cachaças cariocas, mas é mais uma história que talvez seja escrita que fez com que ali estivesse uma mineira de boa estirpe.

Talvez para manter viva a tradição de tantos mineiros ilustres que naquelas pedras pisaram e sobre aquelas mesas discutiram o futuro de nosso grande país nos tempos em que a capital carioca era o centro político de nosso país.

Essa tradição se perpetua através da Maria da Cruz por ser uma cachaça produzida pela Fazenda do Cantagalo,  do político mineiro José de Alencar que foi vice-presidente no governo Lula.

Esta cachaça vem da cidade de Pedras de Maria da Cruz , pertinho de Januária, nor-noroeste de Minas Gerais.

Envelhecida por três anos em tonéis de umburana, possui cor, aroma e sabor agradáveis.

Desfrutá-la em local tão aprazível e em companhia de novos e bons amigos foi uma daquelas experiências únicas e que revestem uma garrafa de história e simbolismo.


Cor: amarelo claro
Viscosidade: média
Aroma: suavemente amadeirado
Sabor: adocicado, levemente alcoólico
Graduação: 46%
Apresentação: garrafa de 700 ml

http://www.fazendadocantagalo.com.br/


Germana

Sempre me soou estranho que uma das melhores cachaças do país tivesse um nome que remete à Alemanha e suas tradições etílicas.

De modo que sempre que vejo uma garrafa de Germana, delicadamente empalhada e com seu rótulo de estilo clássico, não consigo evitar de pensar em Steinhäger.

A família Caetano, que produz a cachaça na cidade de Nova União, esclarece que sua bebida foi assim batizada em homenagem a uma freira de nome Germana, que viveu no século XIX próximo à Igreja de Nossa Senhora da Piedade. No local, hoje convertido em santuário, a freira era acometida de transes e revelações místicas e também distribuía remédios preparados com cachaça e ervas.

Na região de Caeté, em Minas Gerais, a palavra germana tornou-se sinônimo de cachaça, significando algo sem mistura, puro, genuíno.

Foi criada em 1981, mas sua comercialização deu-se a partir de 1984. Produzida artesanalmente com fermentação natural em fubá e destilação em alambiques de cobre.

Sua cor levemente dourada e aroma amadeirado são resultado do envelhecimento  de dois anos em tonéis de carvalho.


Cor: amarelo claro
Viscosidade: média
Aroma: suavemente amadeirado
Sabor: levemente alcoólico
Madeira: Carvalho
Graduação: 40%
Apresentação: garrafas de 300, 700 e 1000ml

http://www.cachacagermana.com.br


Boazinha

É muita modéstia !!!

Essa cachaça sempre figura entre as melhores em qualquer avaliação. Ou seja, boazinha é pouco, é BOA mesmo !

Repousada por dois anos em tonéis de bálsamo, possui cor, aroma e sabor característicos. Legítima representante de Salinas.

——————————————————————————————————

Cor: amarela
Viscosidade: média
Aroma: levemente adocicado
Sabor: amadeirado
Madeira: Bálsamo
Graduação: 42%
Apresentação: garrafas de 50, 120, 300, 600, 670 e 1000ml

http://www.vivaseleta.com


Lua Cheia

“Êta vidinha da boa
Que ela me chama
Tira uma onda comigo
Me leva na boa
Cama de gata
Parece dona
Êta vidinha sacana
E ela é à toa…”

Essa é a primeira estrofe da música LUA CHEIA da banda PAPAS DA LÍNGUA. E não é que ela parece festejar justamente as coisas boas da vida?

Uma delas é essa purinha que tem o doce sabor da cana e a mais rica tradição de minas.

——————————————————————————————————

Cor: branca
Viscosidade: média
Aroma: levemente adocicado
Sabor: suavemente alcoólico
Graduação: 45%
Apresentação: garrafa 600ml

http://www.cachacaluacheia.com.br/
obs.: o domínio existe mas não atende…


Agablana

Produzida em Ponto Chique-MG, esta cachaça surpreende pelo sabor tradicionalíssimo da pura cachaça.

Sabor e aroma  marcante de cana de açucar, sem ser excessivamente doce ou alcoólica.

——————————————————————————————————

Cor: amarelo claro
Viscosidade: média
Aroma: levemente amadeirado
Sabor: suavemente amadeirado
Graduação: 44%
Apresentação: garrafa de 700ml


Salinas

Curiosamente a Cachaça Salinas não é produzida naquela cidade, mas na vizinha Novorizonte-MG. Nem por isso deixa de possuir as melhores qualidades dos produtos que fizeram a fama daquela cidade.

A alma da cidade está no nome e no conteúdo.

Bebida levemente amarelada de sabor ácido e aroma adocicado. Quente e alcoólica, o que permanece é o sabor adocidado da pura cana.

——————————————————————————————————

Cor: amarelo claro
Viscosidade: média
Aroma: levemente adocicado
Sabor: suavemente ácido
Graduação: 42%
Apresentação: garrafas de vários tamanhos 600ml – 700ml – 300ml e 50ml

http://www.cachacasalinas.com.br/


Ferreira Januária

Mais uma legítima representante da tradição de Januária – MG.

Uma cachaça com o puro  sabor da cana, leve e adocicada.

Levemente amarelada e sutilmente perfumada graças ao descanso em tonéis de umburana.

——————————————————————————————————

Cor: branca
Viscosidade: média
Aroma: levemente alcoólico
Sabor: neutro
Graduação: 42%
Apresentação: garrafa de 600ml


%d blogueiros gostam disto: