Arquivo da tag: amburana

Lua nova

Lua nova

A Lua Nova é uma cachaça produzida desde 1995 pelo Grupo Salinas com o mesmo rigor e cuidado artesanal em alambiques de cobre na produção de sua irmã Salinas.

Mas ao contrário desta, a Lua Nova é envelhecida em tonéis de umburana o que lhe confere cor, perfume e maciez.

É bebida leve e agradável capaz de atender aos paladares mais apurados.


Cor: amarelo claro
Viscosidade: média
Aroma: levemente amadeirado
Sabor: amadeirado, suavemente picante
Graduação: 42%
Apresentação: garrafas de diversos tamanhos

http://www.cachacasalinas.com.br/


Maria da Cruz

Republico este post como uma justa homenagem à memória de José Alencar.

Cidadão, empresário, político e apreciador de cachaça que nos honrou com esta nobre bedida.

Que possa, onde estiver, brindar com amigos a vida pela qual lutou sem cessar.

Leia aqui o post original da cachaça Maria da Cruz.


Weber Haus amburana

Weber Haus amburana

Produzida com a mesma base que confere qualidade à versão envelhecida em carvalho, essa bebida é mais alegre.

A Weber Haus envelhecida por um ano em barris de amburana é uma bebida mais adocicada, de sabor levemente amadeirado e remotamente picante. É muito leve e fácil de beber, não agredindo o paladar.

Vale dizer que amburana é o nome científico de uma espécie da família das fabáceas, da qual faz parte entre outras a cerejeira. Muitas cachaças fazem referência à umburana que, basicamente, é a mesma árvore.

Evidente que a variedade utilizada influencia diretamente no sabor do produto. As cachaças paulistas, mineiras e nordestinas envelhecidas em tonéis de amburana provavelmente usam a variedade cearensis, mais comum na região. A Weber Haus talvez utilize a cerejeira, madeira popular no sul do país.

Sem demérito, esta bebida é perfeita para iniciar pessoas que nutrem preconceito contra a cachaça, e também para mulheres que apreciam bebidas fortes e de alma sensível.


Cor: amarelo claro
Viscosidade: alta
Aroma: amadeirado
Sabor: adocicado e amadeirado
Madeira: umburana
Graduação: 38%
Apresentação: garrafa de 700ml

www.weberhaus.com.br


Caetano’s

Temos aqui uma bebida leve e agradável, de sabor delicadamente amadeirado que destaca o sabor dos barris de umburana em que descansa antes de ser engarrafada.

Mesmo assim, mantêm uma cor branca sutilmente amarelada.

Seu rótulo denota o cuidado e tradição característicos de outro produto da marca, a premiada cachaça Germana.

Decerto possui a mesma qualidade na fabricação, mas se as raízes são as mesmas o mesmo não se pode dizer de seu corpo e alma tem um quê de exclusividade que convida a um brinde.


 

Cor: branca
Viscosidade: alta
Aroma: levemente amadeirado
Sabor: suavemente picante e amadeirado
Madeira: umburana
Graduação: 40%
Apresentação: garrafa de 600ml

www.cachacagermana.com.br


Seleta


Seleta

Cachaça de sabor encorpado, amadeirado e levemente alcoólico.

Forma boa coroa e entrega uma boa degustação.

É fabricada pela mesma destilaria que produz a boazinha, mas possui um corpo mais acentuado em razão de seu descanso de dois anos em tonéis de umburana que é uma madeira mais forte.

Cachaça simples de boa qualidade, que se destaca pelo homogeneidade.


Cor: amarelo escuro
Viscosidade: média
Aroma: suavemente amadeirado
Sabor: levemente alcoólico
Madeira: Umburana
Graduação: 42%
Apresentação: garrafa de 50ml, 120, 300ml, 600 ml, 670ml e 1000ml

http://www.vivaseleta.com


Velha de Januária

Velha de Januária

Cachaça leve, de preço acessível, e fácil de degustar.

Armazenada em tonéis de umburana, adquire tonalidade suavemente amarelada e sabor alcoólico levemente amadeirado.

Nos moldes do padrão de qualidade da cidade de Januária (referência na produção de cachaça) possui graduação máxima e mesmo assim desce “redonda”, sem agredir o paladar. Perfeita para o dia-a-dia.

E ainda tem no rótulo um certificado de qualidade: Engarrafada por Marcelo… (que modéstia pouca é bobagem).

Velha, portanto, só a garantia de um bom trago.


Cor: amarelo claro
Viscosidade: média
Aroma: suavemente amadeirado
Sabor:  aromatizado, levemente alcoólico
Graduação: 48%
Apresentação: garrafa de 600 ml


Maria da Cruz

Esta cachaça foi degustada com os melhores ingredientes que podem acompanhar uma boa bebida.

O palco: Bar Amarelinho na Cinelândia, centro histórico do Rio de Janeiro. Cenário repleto de história e carregado de simbolismo.

Poderia ter sido uma das muitas boas cachaças cariocas, mas é mais uma história que talvez seja escrita que fez com que ali estivesse uma mineira de boa estirpe.

Talvez para manter viva a tradição de tantos mineiros ilustres que naquelas pedras pisaram e sobre aquelas mesas discutiram o futuro de nosso grande país nos tempos em que a capital carioca era o centro político de nosso país.

Essa tradição se perpetua através da Maria da Cruz por ser uma cachaça produzida pela Fazenda do Cantagalo,  do político mineiro José de Alencar que foi vice-presidente no governo Lula.

Esta cachaça vem da cidade de Pedras de Maria da Cruz , pertinho de Januária, nor-noroeste de Minas Gerais.

Envelhecida por três anos em tonéis de umburana, possui cor, aroma e sabor agradáveis.

Desfrutá-la em local tão aprazível e em companhia de novos e bons amigos foi uma daquelas experiências únicas e que revestem uma garrafa de história e simbolismo.


Cor: amarelo claro
Viscosidade: média
Aroma: suavemente amadeirado
Sabor: adocicado, levemente alcoólico
Graduação: 46%
Apresentação: garrafa de 700 ml

http://www.fazendadocantagalo.com.br/


%d blogueiros gostam disto: