Arquivo da categoria: cachaça

Providência

Providência

Chego em casa, sexta-feira, naquela abstinência.
Dias de contas a pagar, problemas a tratar.
No planalto corrupção, na Europa depressão, no Oriente repressão.

Tanto problema sem solução !
É preciso se acalmar e uma solução encontrar.
É preciso tomar uma providência.

E assim começo a contar a experiência que é degustar esta cachaça que já foi a preferida do ex-presidente Juscelino Kubitschek.

Surpreende que seja uma cachaça tão leve e suavemente adocicada sendo branca.  Não registra que seja, mas o descanso em tonéis de umburana certamente contribui para a leveza de seu paladar.

Segredos de uma produção que remonta aos anos quarenta quando começou a ser produzida na cidade de Buenópolis – MG.

Um bom amigo mineiro me contou que de tão apreciada, seu estoque evapora, como que por encanto, toda vez que sua esposa organiza jantares entre a amigas.

Ele meneia a cabeça e argumenta que vai ter que tomar uma providência, se ainda sobrar cachaça.


Cor: branca
Viscosidade: alta
Aroma: adocicado
Sabor: cana-de-açucar, suavemente adocicado
Graduação: 47%
Apresentação: garrafas de 600 ml

wagnerdaprovidencia@hotmail.com
Fone: +55 3837561174


Beiçuda

Beiçuda

Dia destes visito o Empório da Cachaça para me abastecer e me oferecem uma prova cega de uma nova cachaça que chegou por lá.

Branca, de aroma neutro. Dou uma beiçada e sinto o sabor pronunciado de cana. Cachaça suave que deixa uma bela coroa de lágrimas no copo.

Só então me apresentam a Beiçuda. Cachaça honesta comercializada em embalagem plástica.

Confesso que, pelo mesmo motivo que a loja relutou em colocar a bebida à venda eu não teria comprado e perderia a oportunidade de provar um produto de qualidade e bom preço.

Bidestilada e maturada em tonéis de aço inox na fazenda Felicidade – Distrito de Grota D´Água, cidade de Caetanópolis – MG, cidade próxima a Sete Lagoas, a Beiçuda é muito diferente das aguardentes populares que se encontra nas gôndolas de supermercado.

É cachaça para se degustar sem preconceito.

Em tempo, o Empório da Cachaça fica no Shopping da Lapa, na esquina das ruas Carlos Gomes com rua da Lapa (http://goo.gl/JAQ0M).


Cor: branca
Viscosidade: alta
Aroma: neutro
Sabor: cana-de-açucar, suavemente adocicado
Graduação: 42%
Apresentação: garrafas plástica de 500 ml e 920 ml

http://www.pedradelua.com.br
Fone: +55 31 3374 3150


Volúpia

Volúpia

Bwana, bwana, esta cachaça me faz lembrar sempre da canção de Rita Lee. E aqui, como , não dá para resistir, não dá para evitar.

Escolhida a melhor cachaça branca pela revista Veja, já figurou por três vezes como uma das melhores no ranking da revista Playboy.

Sua produção remonta ao século XIX e acompanha várias gerações da família Lemos. Sempre produzida de forma artesanal na cidade de Alagoa Grande / PB, somente em 1946 ganhou o nome de Volúpia  e com ele rotúlos sensuais que foram substituídos por um design mais conservador.

Por qualidades que podem ser facilmente comprovadas desde o primeiro gole, a Volúpia é bebida que agrada facilmente a todos os paladares.

Contrariando o senso comum a respeito das bebidas brancas, o seu aroma lembra o puro sabor da cana e o sabor, de início suave, cresce e aquece terminando num agradável adocicado.

Contrariado o ditame popular que a Paraíba alardeia, não precisa ser mulher-macho e mesmo as pessoas de paladar mais sensível degustarão com prazer.

Então bwana, ouça aqui a canção enquanto desfruta com prazer a Volúpia.


Cor: branca
Viscosidade: alta
Aroma: levemente adocidado
Sabor: cana-de-açucar, suavemente adocicado
Graduação: 42%
Apresentação: garrafas de 50 ml e 700 ml,  e também embalagens de porcelana com 50ml, 120ml, 200ml e 1000ml.

http://www.cachacavolupia.com.br
Fone: +55 83 9982-2917


Dedo de prosa

Dedo de prosa

A Dedo de Prosa é uma saborosa cachaça cujo nome remete a uma das tradições mais arraigadas ao cerimonial de degustação desta bebida, a confraternização que se arrasta pelo tempo em torno de uma boa conversa.

Contam que foi assim batizada em homenagem ao patriarca da família Germiniani, Sr.  Volveno, que tinha o hábito de sair para conversar com os amigos e degustar uma boa cachaça.

Na cidade de Piranguinho, região da Serra da Mantiqueira no sul de Minas Gerais, a bebida é produzida  de forma artesanal respeitando modernas técnicas que lhe garantem qualidade superior e excelente sabor.

A bebida, descansada em barris de louro-canela, possui sabor leve e muito agradável,  delicadamente picante.

Boa companhia para um ter dedinho de prosa com os amigos e jogar conversa fora.

Dedo de prosa também é encontrada na versão repousada em barris de carvalho.


Cor: branca
Viscosidade: média
Aroma: levemente adocidado
Sabor: suavemente picante
Graduação: 40%
Apresentação: garrafa de 700 ml

http://www.cachacadedodeprosa.com.br/


Boavistense

Boavistense

Um dos grandes prazeres que se encontra ao degustar cachaças é que elas possuem um grau de aferição amplamente conhecido e podem ser encontradas em praticamente todos os cantos do país.

Isso nos abre um amplo leque de oportunidades de apreciar produtos diferentes e com qualidade assegurada.

A Cachaça Boavistente, artesanal como faz questão de destacar no nome, é um produto de sabor e qualidade que nada deixa a dever a outros produtos de marca e preço muito superiores.

Bebida leve e fácil de beber, algo adocicada, mas perfeita para aperitivos.

É produzida em quantidades limitadas  por Olivio Bassoli na cidade turística de Boa Vista da Aparecida, localizada às margens do lago de itaipu.

A Boavistense tem qualidades que lhe permite crescer em escala e abrangência, se mantidos os cuidados e atenção no seu preparo.


Cor: amarelo claro
Viscosidade: baixa
Aroma: levemente adocidado
Sabor: suavemente adocicado, algo amadeirado
Graduação: indeterminado
Apresentação: embalagens variadas

(45) 9128-6404


Bassi

A cachaça Bassi é apresentada em quatro composições: branca, descansada, envelhecida e canelinha.

A branca que serve de base para todas é cercada de cuidados e atenção em todo o processo de produção, resultado do carinho com que Paulo Bassi e seu filho elaboram este precioso líquido na fazenda Laranjinha em Santa Mariana – a meio caminho entre Londrina e Ourinhos.

O processo de destilação e filtragem proporciona pureza, suavidade e sabor comparável ao das melhores cachaças do mercado.

O envelhecimento é obtido pelo armazenamento em barris de carvalho durante dois anos o que lhe confere sabor e aroma marcadamente amadeirado.

Parte da produção é apenas descansada durante quatro meses em barris de carvalho, suficiente para eliminar o excesso de acidez, colorizar o líquido e torná-lo mais agradável ao paladar. De longe é a mais leve e saborosa versão da bebida com aroma agradavelmente cítrico. É quente e fácil de beber.

A cachaça canelinha é saborizada pela adição de ramos de canela no armazenamento.

A Bassi é mais um exemplo de que o Paraná começa a se destacar na produção de cachaças de qualidade.


Cor: amarelo esverdeado muito claro
Viscosidade: média
Aroma: levemente cítrico
Sabor: suavemente adocicado, levemente amadeirado
Graduação: 42%
Apresentação: garrafa de 700 ml e 1000ml.


Bocaina

Esta bebida é uma criação de seu Toninho, engenheiro mecânico que em 1980 começou a trabalhar com a produção de açúcar e álcool e em 1992 enveredou pela produção de cachaça.

Com a expertise adquirida desenvolveu parcerias com a Universidade Federal de Lavras que culminaram numa delicada combinação de tecnologias e práticas artesanais.

Desde 1993 segue aprimorando este produto extraído das canas da região da Serra da Bocaina, em Lavras, Sul de Minas Gerais e que depois de destilados descansam em tonéis de madeira até aquirir cor e sabor característicos.

O resultado é uma cachaça muito suave, fácil de beber e deliciosa de se provar.


Cor: amarelo muito claro, quase branca
Viscosidade: média
Aroma: levemente cítrico
Sabor: suavemente adocicado, levemente amadeirado
Graduação: 40%
Apresentação: garrafa de 700 ml e outros tamanhos.

http://www.cachacabocaina.com.br


Gerais mineiro

Cachaça forte das terras altas de Montes Claros – MG, é bebida com 60 anos de tradição que impõe sua força e pede respeito.

Os três anos de repouso em tonéis de bálsamo lhe conferem cor e atenuam a rispidez da degustação.

Produzida pela Aguardente Santa Rosa era popularmente conhecida pelo mesmo nome. Foi rebatizada para evitar a confusão com outra bebida de mesmo nome produzida no Rio de Janeiro.


Cor: amarelo claro
Viscosidade: baixa
Aroma: alcoólico
Sabor: picante, levemente alcoólico
Graduação: 45%
Apresentação: garrafa de 700 ml

geraismineiro@bol.com.br


Maria da Cruz

Republico este post como uma justa homenagem à memória de José Alencar.

Cidadão, empresário, político e apreciador de cachaça que nos honrou com esta nobre bedida.

Que possa, onde estiver, brindar com amigos a vida pela qual lutou sem cessar.

Leia aqui o post original da cachaça Maria da Cruz.


Sabor de minas

Sabor de minas

O rótulo da cachaça Sabor de Minas possui um apelo tão clássico que é difícil acreditar que se trata de uma bebida que começou a ser produzida apenas em 2002.

Ele possui aquele popular estilo das fachadas e letreiros de restaurantes de comida tipicamente mineira.

Tudo isso evoca uma aura de respeito e tradição na hora de degustar seu líquido precioso.

E não decepciona, pois a bebida possui todas as características que fizeram a fama e conferem qualidade às melhores cachaças de Salinas/MG.

A Sabor de Minas é suave, levemente picante e quente. Seu particular envelhecimento em tonéis de bálsamo e jequitibá lhe dão um sabor picante que remotamente me lembrou cravos, mas pode ser apenas entusiasmo.

É uma excelente bebida para todas as ocasiões.


Cor: amarelo claro
Viscosidade: média
Aroma: levemente ácida e amadeirada
Sabor: suavemente picante, ácido e alcoólico
Madeira: blend (bálsamo e jequitibá)
Graduação: 42%
Apresentação: garrafa de 600 ml e diversos outros tamanhos

Santo grau – Coronel Xavier Chaves

Santo grau - Coronel Xavier Chaves

Figurando entre as quinze melhores cachaças do país no ranking Playboy 2009 e sendo a única branca, a Santo Grau de Coronel Xavier Chaves destaca-se como a melhor cachaça pura do Brasil.

Não é pouco. Embora as “purinhas” sejam largamente utilizadas no preparo de drinks, a degustação pura é mais frequente entre as bebidas envelhecidas. Isso porque o contato com a madeira reduz a sensação alcoólica da bebida.

Seguindo um modelo diferente de negócio a Natique S/A, detentora da marca Santo Grau, seleciona entre pequenos produtores artesanais de cachaça produtos de qualidade aos quais confere sua marca.

Ciente e responsável, preserva as indicações de origem e safra, cujos cuidados começam no corte manual da cana e na fermentação natural.

A origem do nome é uma referência ao melhor método de produção da cachaça em que se elimina a cabeça e o rabo, preservando-se apenas o corpo da destilação, a melhor graduação, o santo grau.

A Coronel Xavier Chaves é produzida na cidade mineira de mesmo nome pelo mais antigo engenho em funcionamento do país e que teria, inclusive, pertencido à tia e ao irmão de Tiradentes.

Curiosamente, depois de destilada ela descansa em tanques de cimento revestidos de parafina antes de ser engarrafada.

É uma bebida com mais de 250 anos de tradição cuja produção guarda as melhores características de uma deliciosa purinha.


Cor: branca
Viscosidade: alta
Aroma: levemente ácida
Sabor: suavemente picante, ácido e alcoólico
Madeira: não se aplica
Graduação: 40%
Apresentação: garrafas de 750 ml

Velho alambique

Velho alambique

Cachaça orgânica produzida artesanalmente na pequena e histórica cidade de Santa Tereza,  localizada na serra gaúcha.

Rica em patrimônio histórico que data da colonização italiana nos idos de 1875, preserva na pequena produção desta bebida exclusiva um pouco do patrimônio cultural de sua comunidade.

A colheita é manual e aguarda até a perfeita maturação da cana. Depois de destilada a bebida é ainda armazenada em barris de carvalho ou grápia.

Tudo isso resulta num produto de sabor adocicado marcante de melado da cana.

É uma cachaça fácil de beber, melhor apreciada se bebida após as refeições. Lenta e pausadamente como escorre o tempo nas verdes encostas e vales da Serra Gaúcha.


Cor: dourado
Viscosidade: alta
Aroma: levemente adocicado
Sabor: melado de cana, levemente adocicado
Madeira: carvalho e grápia
Graduação: 39%
Apresentação: garrafas de 50, 160 e 700 ml

http://www.velhoalambique-rs.com.br

 


Clube minas

A cachaça Clube Minas segue uma receita pouco comum ao mercado de destilados brasileiros, mas muito popular em outros mercados.

Assumidamente, ela se apresenta com um “blend”, ou seja, uma mistura de destilados cuidadosamente selecionados e armazenados em tonéis de várias qualidades com o propósito de obter uma bebida única.

O resultado, atestado por diversos prêmios, é uma bebida que remete às melhores qualidades do destilado genuínamente brasileiro.

O repouso é feito em barris de cerejeira (madeira da família da amburana), jequitibá-rosa  e jatobá. Estas últimas madeiras, pouco usuais, conferem uma alma especial à bebida.

A Clube Minas é produzida artesanalmente por um conglomerado de mais de 80 cooperados. Assim a bebida alcança qualidade, preço e capacidade de fornecimento à altura dos grandes produtores industriais. Isso sem perder a característica de produto artesanal.

O modelo alcança tanto sucesso que vem sendo copiado por pequenos produtores de outras regiões do país, interessados em ganhar escala e projeção para seus produtos.

A Clube Minas tem sabor agradavelmente único, revestindo-se de qualidades que lhe permitem ser consumida em qualquer situação por paladares dos mais variados espectros.

Também guarda a característica de ser comercializada em garrafas de 600ml tradicionais, porém transparentes e personalizadas. Algo raro e que cada vez mais se converte em critério de seletividade do produto.


Cor:  amarelo claro
Viscosidade: alta
Aroma: levemente  adocicado
Sabor: picante, sutilmente amadeirado
Madeira: cerejeira, jequitibá-rosa  e jatobá
Graduação: 40%
Apresentação: garrafas de 600 ml

http://www.coocachaca.com


Chico mineiro

Chico Mineiro

Não há roda de viola que não pontue a toada que celebrizou a dupla sertaneja Tonico & Tinoco. Chico, aqui mineiro pois melhor designa a região onde a lenda era narrada, seria o nome de um lendário boidadeiro cujas proezas eram transmitidas por gerações.

Ao lado da canção Menino da Porteira, são as canções mais conhecidas do grande público que enaltecem a figura do peão de boiadeiro.

Mas é em Chico Mineiro que toda a mística do peão se manifesta de forma mais intensa. O trabalho, a amizade, o companheirismo, a devoção à família e também os riscos e tragédias da profissão são ali cantados de forma rústica e poética.

Ao dar este nome a esta cachaça os produtores homenagearam todos os boiadeiros, mas principalmente João Xavier Borges, boiadeiro e depois fazendeiro que em 1922 iniciou timidamente a produção da cachaça cuja tradição se manifesta nesta garrafa.

É uma bebida forte, picante.

O repouso em tonéis de carvalho suavemente disfarça o aroma alcoólico e confere um perfume e sabor agradável.


Cor: branca sutilmente amarelada
Viscosidade: média
Aroma: levemente adocicado
Sabor: picante, sutilmente amadeirado
Madeira: carvalho
Graduação: 40%
Apresentação: garrafas de 50, 355, 600, 700 e 970 ml

http://www.cachacachicomineiro.com.br


Mineira serena

Mineira serena

Cachaça artesanal originária de zona rual da cidade de Abaeté – MG de qualidade comparável às melhores bebidas.

Cor,transparência e viscosidade agradáveis.

Aroma de fundo levemente cítrico e  adocicado.

O armazenamento em tonéis de bálsamo deixa a bebida, como atesta o rótulo, suave e gostosa. Mas decerto, a limpeza da degustação é resultado de uma destilação muito apurada e cuidadosa.

Degusta-se com prazer.


Cor: amarela
Viscosidade: média
Aroma: cítrico levemente adocicado
Sabor: sutilmente amadeirado
Madeira: bálsamo
Graduação: 42%
Apresentação: garrafa de 700ml


Sônia

Sônia

Cachaças com nomes femininos são comuns, mas com nome de mulher pode-se contar nos dedos.

Essa preciosidade que atende pelo nome de Sônia é originária das montanhas de Monte Sião – MG.

Sabe-se que é produto de uma pequena produção artesanal iniciada em 1954 e que rende apenas algumas dezenas de garrafas por ano.

Chegou-me pelas mão de um amigo seguindo a sugestão estampada no rótulo onde se lê:

“… fermentada utilizando alegria como levedura e destilada para produzir satisfação, amizade e companheirismo. Beba com amigos.”

É uma bebida forte, faltando pouco para ser rasgante.

Assim é Sônia, agradável, companheira e que pede para ser apreciada com paciência.


Cor: branca
Viscosidade: baixa
Aroma: neutro
Sabor: levemente alcoólico
Madeira: não se aplica
Graduação: indeterminado
Apresentação: garrafa de 600ml


Valiosa

Valiosa

Apesar de sua alta concentração alcoólica, essa cachaça oriunda da região de Salinas – MG é leve, saborosa e fácil de beber.

Este exemplar, engarrafado em 2008 possui sabor cítrico, algo picante, o que é resultado do repouso em tonéis de bálsamo.

Convém elogiar a anotação da data de engarrafamento. Isso permite avaliar o sabor de uma mesma bebida ao longo do tempo.

A Valiosa é produzida na Fazenda Boa Vista, mesma produtora da cachaça Salineira, e guarda algumas semelhanças com aquela bebida.


Cor: amarelo esverdeado claro
Viscosidade: baixa
Aroma: amadeirado cítrico
Sabor: cítrico e picante
Madeira: bálsamo
Graduação: 44%
Apresentação: garrafa de 670ml


Weber Haus amburana

Weber Haus amburana

Produzida com a mesma base que confere qualidade à versão envelhecida em carvalho, essa bebida é mais alegre.

A Weber Haus envelhecida por um ano em barris de amburana é uma bebida mais adocicada, de sabor levemente amadeirado e remotamente picante. É muito leve e fácil de beber, não agredindo o paladar.

Vale dizer que amburana é o nome científico de uma espécie da família das fabáceas, da qual faz parte entre outras a cerejeira. Muitas cachaças fazem referência à umburana que, basicamente, é a mesma árvore.

Evidente que a variedade utilizada influencia diretamente no sabor do produto. As cachaças paulistas, mineiras e nordestinas envelhecidas em tonéis de amburana provavelmente usam a variedade cearensis, mais comum na região. A Weber Haus talvez utilize a cerejeira, madeira popular no sul do país.

Sem demérito, esta bebida é perfeita para iniciar pessoas que nutrem preconceito contra a cachaça, e também para mulheres que apreciam bebidas fortes e de alma sensível.


Cor: amarelo claro
Viscosidade: alta
Aroma: amadeirado
Sabor: adocicado e amadeirado
Madeira: umburana
Graduação: 38%
Apresentação: garrafa de 700ml

www.weberhaus.com.br


Sagra ouro

Sagra Ouro

Esta cachaça envelhecida em barris de carvalho preserva as mesmas qualidades da cachaça sagra prata que lhe serve de corpo, acrescida dos aromas e sabores característicos de um envelhecimento feito com cuidado e atenção.

Tão boa que me inspirou a escrever o poema Água Sagrada que postei pouco antes.

O sabor é levemente amadeirado, com notas que lembram baunilha. Ao contrário da maioria das cachaças repousadas em barris de carvalho ela não é doce, mas destaca alguma notas cítricas e de baunilha.

É cachaça para degustar com os amigos em todas as ocasiões.

O rótulo simples, infelizmente não valoriza o produto de tradições artesanais, corpo orgânico e espírito nobre.


Cor: amarelo claro
Viscosidade: média
Aroma: neutro
Sabor: levemente cítrico e adocicado
Madeira: carvalho
Graduação: 41%
Apresentação: garrafa de 50, 150 e 700ml

http://www.cachacasagra.com.br/


Sagra prata

Sagra Prata

O primeiro gole passa quase desapercebido. Esta cachaça possui um bom equilíbrio de acidez e doce, resultando numa bebida  suave, cristalina e de sabor agradável.

Produzida com técnicas de cultivo orgânico, ela é fácil de se consumir pura, o que não é comum nas cachaças brancas, e mostra-se perfeita para drinks e coquetéis, em especial nossa brasileiríssima caipirinha.

A Sagra é parte da iniciativa da Copercana, cooperativa da cidade de Nova Aurora – Oeste do Paraná, que desde 2003 desenvolve um projeto voltado para a seleção das variedade de cana de açucar mais adequadas à produção de cachaças orgânicas com altos índices de qualidade.

A destilação é feita com modernos equipamentos industriais, respeitando as tradicionais técnicas de produção artesanal.

Como poucas, possui certificados que garantem sua vocação orgânica e o compromisso com produtos sócio-ambientelmente responsáveis.

Enfim, é CACHAÇA boa, digna de figurar entre as melhores representantes de nossa bebida nacional.


Cor: branca
Viscosidade: média
Aroma: neutro
Sabor: levemente cítrico
Graduação: 41%
Apresentação: garrafa de 50, 150 e 700ml

 

http://www.cachacasagra.com.br/


Weber Haus

Weber Haus

Mais conhecido por seus costumes, suas belas mulheres, sua culinária e vinícultura, o Rio Grande do Sul tem também longa e premiada tradição na produção de cachaças.

A Weber Haus é um delicioso exemplo que nos vem de Ivoti/RS, cidade encravada na rota romântica, roteiro turístico próximo a Porto Alegre  localizado entre a planície do Vale dos Sinos e o planalto da Serra Gaúcha com forte tradição na colonização alemã.

A cachaça produzida pela família Weber é suave, de sabor marcadamente amadeirado que destaca o a alma carvalheira dos barris em que é envelhecida.

É uma bebida que se consome sem dificuldade e que pode figurar em qualquer carta de bebidas sofisticadas.


Cor: caramelo
Viscosidade: alta
Aroma: amadeirado
Sabor: levemente adocicado e amadeirado
Madeira: carvalho
Graduação: 38%
Apresentação: garrafa de 700ml

www.weberhaus.com.br


Caetano’s

Temos aqui uma bebida leve e agradável, de sabor delicadamente amadeirado que destaca o sabor dos barris de umburana em que descansa antes de ser engarrafada.

Mesmo assim, mantêm uma cor branca sutilmente amarelada.

Seu rótulo denota o cuidado e tradição característicos de outro produto da marca, a premiada cachaça Germana.

Decerto possui a mesma qualidade na fabricação, mas se as raízes são as mesmas o mesmo não se pode dizer de seu corpo e alma tem um quê de exclusividade que convida a um brinde.


 

Cor: branca
Viscosidade: alta
Aroma: levemente amadeirado
Sabor: suavemente picante e amadeirado
Madeira: umburana
Graduação: 40%
Apresentação: garrafa de 600ml

www.cachacagermana.com.br


Januária

JanuáriaCachaça originária de Montes Claros – MG.

É uma cachaça sem muitas pretensões. Básica, rústica e de sabor tradicional.

O sabor é forte, ácido e levemente alcoólico. Como convém às puras cachaças naturais e tradicionais.

Ideal para degustar com umas gotas de limão.


Cor: branca
Viscosidade: média
Aroma: neutro, levemente alcoólico
Sabor: fortemente ácido e levemente alcoólico
Madeira: não se aplica
Graduação: 36%
Apresentação: garrafa de 600ml

 


Seleta


Seleta

Cachaça de sabor encorpado, amadeirado e levemente alcoólico.

Forma boa coroa e entrega uma boa degustação.

É fabricada pela mesma destilaria que produz a boazinha, mas possui um corpo mais acentuado em razão de seu descanso de dois anos em tonéis de umburana que é uma madeira mais forte.

Cachaça simples de boa qualidade, que se destaca pelo homogeneidade.


Cor: amarelo escuro
Viscosidade: média
Aroma: suavemente amadeirado
Sabor: levemente alcoólico
Madeira: Umburana
Graduação: 42%
Apresentação: garrafa de 50ml, 120, 300ml, 600 ml, 670ml e 1000ml

http://www.vivaseleta.com


Saliníssima

Saliníssima

Tradicional cachaça produzida na região de Salinas.

Sem muitas pretensões, conserva a  tradição das cachaças artesanais de Minas Gerais.

Leve e fácil de apreciar. Ideal para toda ocasião.


Cor: amarelo claro
Viscosidade: média
Aroma: suavemente amadeirado
Sabor: levemente alcoólico
Madeira: Bálsamo
Graduação: 42%
Apresentação: garrafa de 600 ml


Sagarana

Sagarana

Deliciosa cachaça produzida na Fazenda do Cantagalo em Pedras de Maria da Cruz – Norte de Minas Gerais.

Possui a mesma “genética” da cachaça Maria da Cruz.

Entretanto, é muito mais fácil de degustar. Possui um aroma suavemente  amadeirado e sabor levemente picante que combina com petiscos leves.

Menos adocicada que a maioria das bebidas. Perfeita para todas as ocasiões.


Cor: amarelo claro
Viscosidade: média
Aroma: suavemente amadeirado
Sabor: cítrico, levemente picante e pouco alcoólico
Graduação: 43%
Apresentação: garrafa de 600 ml

http://www.fazendadocantagalo.com.br/


Insinuante

Insinuante

Com um nome desses pode-se pensar em qualquer coisa que nesse caso resultado final será um só: satisfação.

Essa cachaça é forte e de sabor marcante, levemente amadeirado.

Mais forte que a maioria, mas nada que assuste um bom degustador.

Atualmente ela é produzida pelo empresário Marcelo Ricaldoni Alves, mesmo produtor da cachaça Velha de Januária, mas a história da Insinuante começa às margens do Rio São Francisco no Estado de Sergipe pelas mãos da família Itabayana. Migrando para Minas Gerais, levaram a receita de uma boa cachaça sergipana para temperar o sabor mineiro.

Mais uma legítima representante de Januária-MG, cidade que figura entre os melhores centros produtores de cachaça.


Cor: amarelo claro
Viscosidade: média
Aroma: suavemente amadeirado
Sabor:  aromatizado, levemente alcoólico
Graduação: 48%
Apresentação: garrafa de 600 ml


Velha de Januária

Velha de Januária

Cachaça leve, de preço acessível, e fácil de degustar.

Armazenada em tonéis de umburana, adquire tonalidade suavemente amarelada e sabor alcoólico levemente amadeirado.

Nos moldes do padrão de qualidade da cidade de Januária (referência na produção de cachaça) possui graduação máxima e mesmo assim desce “redonda”, sem agredir o paladar. Perfeita para o dia-a-dia.

E ainda tem no rótulo um certificado de qualidade: Engarrafada por Marcelo… (que modéstia pouca é bobagem).

Velha, portanto, só a garantia de um bom trago.


Cor: amarelo claro
Viscosidade: média
Aroma: suavemente amadeirado
Sabor:  aromatizado, levemente alcoólico
Graduação: 48%
Apresentação: garrafa de 600 ml


Maria da Cruz

Esta cachaça foi degustada com os melhores ingredientes que podem acompanhar uma boa bebida.

O palco: Bar Amarelinho na Cinelândia, centro histórico do Rio de Janeiro. Cenário repleto de história e carregado de simbolismo.

Poderia ter sido uma das muitas boas cachaças cariocas, mas é mais uma história que talvez seja escrita que fez com que ali estivesse uma mineira de boa estirpe.

Talvez para manter viva a tradição de tantos mineiros ilustres que naquelas pedras pisaram e sobre aquelas mesas discutiram o futuro de nosso grande país nos tempos em que a capital carioca era o centro político de nosso país.

Essa tradição se perpetua através da Maria da Cruz por ser uma cachaça produzida pela Fazenda do Cantagalo,  do político mineiro José de Alencar que foi vice-presidente no governo Lula.

Esta cachaça vem da cidade de Pedras de Maria da Cruz , pertinho de Januária, nor-noroeste de Minas Gerais.

Envelhecida por três anos em tonéis de umburana, possui cor, aroma e sabor agradáveis.

Desfrutá-la em local tão aprazível e em companhia de novos e bons amigos foi uma daquelas experiências únicas e que revestem uma garrafa de história e simbolismo.


Cor: amarelo claro
Viscosidade: média
Aroma: suavemente amadeirado
Sabor: adocicado, levemente alcoólico
Graduação: 46%
Apresentação: garrafa de 700 ml

http://www.fazendadocantagalo.com.br/


Spézia

As cachaças originárias de Santa Catarina são, em geral, mais doces que as produzidas em outras regiões do país.

A Spézia não foge à regra. Adocicada e com aroma marcadamente amadeirado é uma cachaça industrial, mas preserva as características de uma bebida artesanal.

É originária do município de Luiz Alves, nordeste de Santa Catarina, cidade que desde 1984 realiza anualmente a Festa Nacional da Cachaça (FENACA) em razão da grande e variada produção desta bebida naquela região.


Cor: amarelo claro
Viscosidade: baixa
Aroma: suavemente amadeirado
Sabor: adocicado, levemente alcoólico
Graduação: 38%
Apresentação: garrafas de 170, 500, 700 e 750 ml

http://www.cachacaspezia.com.br/


Germana

Sempre me soou estranho que uma das melhores cachaças do país tivesse um nome que remete à Alemanha e suas tradições etílicas.

De modo que sempre que vejo uma garrafa de Germana, delicadamente empalhada e com seu rótulo de estilo clássico, não consigo evitar de pensar em Steinhäger.

A família Caetano, que produz a cachaça na cidade de Nova União, esclarece que sua bebida foi assim batizada em homenagem a uma freira de nome Germana, que viveu no século XIX próximo à Igreja de Nossa Senhora da Piedade. No local, hoje convertido em santuário, a freira era acometida de transes e revelações místicas e também distribuía remédios preparados com cachaça e ervas.

Na região de Caeté, em Minas Gerais, a palavra germana tornou-se sinônimo de cachaça, significando algo sem mistura, puro, genuíno.

Foi criada em 1981, mas sua comercialização deu-se a partir de 1984. Produzida artesanalmente com fermentação natural em fubá e destilação em alambiques de cobre.

Sua cor levemente dourada e aroma amadeirado são resultado do envelhecimento  de dois anos em tonéis de carvalho.


Cor: amarelo claro
Viscosidade: média
Aroma: suavemente amadeirado
Sabor: levemente alcoólico
Madeira: Carvalho
Graduação: 40%
Apresentação: garrafas de 300, 700 e 1000ml

http://www.cachacagermana.com.br


Serra Preta

Premiada cachaça, 100% natural, produzida com receita e cuidados especiais desde 1908 na pequena cidade de Alagoa Nova, próximo a Campina Grande – Paraíba.

Ela tem um sabor único, típico das bebidas produzidas no nordeste. Mais picante e menos perfumadas.

Conheci esta deliciosa cachaça pelas mãos de um bom amigo e xará. Se todas as boas amizades vissem acompanhadas de sabores tão especiais, ia faltar tempo para desfrutar tantas coisas boas.

——————————————————————————————————

Cor: branca
Viscosidade: média
Aroma: suave
Sabor: picante, levemente alcoólico
Graduação: 45%
Apresentação: garrafas de 300, 600 e 700ml

http://www.cachacaserrapreta.com/


Boazinha

É muita modéstia !!!

Essa cachaça sempre figura entre as melhores em qualquer avaliação. Ou seja, boazinha é pouco, é BOA mesmo !

Repousada por dois anos em tonéis de bálsamo, possui cor, aroma e sabor característicos. Legítima representante de Salinas.

——————————————————————————————————

Cor: amarela
Viscosidade: média
Aroma: levemente adocicado
Sabor: amadeirado
Madeira: Bálsamo
Graduação: 42%
Apresentação: garrafas de 50, 120, 300, 600, 670 e 1000ml

http://www.vivaseleta.com


Lua Cheia

“Êta vidinha da boa
Que ela me chama
Tira uma onda comigo
Me leva na boa
Cama de gata
Parece dona
Êta vidinha sacana
E ela é à toa…”

Essa é a primeira estrofe da música LUA CHEIA da banda PAPAS DA LÍNGUA. E não é que ela parece festejar justamente as coisas boas da vida?

Uma delas é essa purinha que tem o doce sabor da cana e a mais rica tradição de minas.

——————————————————————————————————

Cor: branca
Viscosidade: média
Aroma: levemente adocicado
Sabor: suavemente alcoólico
Graduação: 45%
Apresentação: garrafa 600ml

http://www.cachacaluacheia.com.br/
obs.: o domínio existe mas não atende…


Agablana

Produzida em Ponto Chique-MG, esta cachaça surpreende pelo sabor tradicionalíssimo da pura cachaça.

Sabor e aroma  marcante de cana de açucar, sem ser excessivamente doce ou alcoólica.

——————————————————————————————————

Cor: amarelo claro
Viscosidade: média
Aroma: levemente amadeirado
Sabor: suavemente amadeirado
Graduação: 44%
Apresentação: garrafa de 700ml


Salinas

Curiosamente a Cachaça Salinas não é produzida naquela cidade, mas na vizinha Novorizonte-MG. Nem por isso deixa de possuir as melhores qualidades dos produtos que fizeram a fama daquela cidade.

A alma da cidade está no nome e no conteúdo.

Bebida levemente amarelada de sabor ácido e aroma adocicado. Quente e alcoólica, o que permanece é o sabor adocidado da pura cana.

——————————————————————————————————

Cor: amarelo claro
Viscosidade: média
Aroma: levemente adocicado
Sabor: suavemente ácido
Graduação: 42%
Apresentação: garrafas de vários tamanhos 600ml – 700ml – 300ml e 50ml

http://www.cachacasalinas.com.br/


Magnífica

Versão tradicional desta preciosa cachaça produzida na região serrana do Rio de Janeiro. Apesar de jovem, começou a ser produzida em 1997, já figura entre os melhores destilados em qualquer seleção que participe.

Descansada por dois anos em tonéis de Ipê, ela possui um sabor muito particular que muito me lembra o sabor das grappas italianas.

Por conta disso, a Magnífica é uma cachaça de sabor inigualável e que proporcional um prazer único na degustação.

——————————————————————————————————

Cor: amarelo claro
Viscosidade: média
Aroma: levemente amadeirado
Sabor: suavemente picante
Graduação: 45%
Apresentação: garrafa de 750ml

http://www.cachacamagnifica.com.br/


Ferreira Januária

Mais uma legítima representante da tradição de Januária – MG.

Uma cachaça com o puro  sabor da cana, leve e adocicada.

Levemente amarelada e sutilmente perfumada graças ao descanso em tonéis de umburana.

——————————————————————————————————

Cor: branca
Viscosidade: média
Aroma: levemente alcoólico
Sabor: neutro
Graduação: 42%
Apresentação: garrafa de 600ml


Claudionor

Terceira melhor cachaça pelo ranking da revista Playboy, onde figurou pela primeira vez na quinta colocação.

Ou seja, melhorou o que já era quase perfeito. Isso porque a Claudionor descansa em tonéis de umburana por um ano e meio aproximadamente, o que é suficiente para apurar seu sabor, mas não demasiado para conferir-lhe o caráter de cachaça envelhecida.

Vale dizer que uma cachaça só é considerada envelhecida quando armazenada por mais de um ano em tonéis de até 700 litros.

A Claudionor, portanto, é a melhor colocada entre as “branquinhas”, o que não é pouco.

Possui ainda o título de cachaça mais forte do país. Originalmente ela tinha 54º de graduação alcoólica , depois reduzido para 48º, limite legal para ser considerada cachaça.

Legítima representante da tradição da cidade de Januária-MG que, antes de Salinas, era o principal produtor do país.

——————————————————————————————————

Cor: branca
Viscosidade: média
Aroma: levemente alcoólico
Sabor: neutro
Graduação: 48%
Apresentação: garrafa de 600ml


do Serro

Esta cachaça carrega no nome o orgulho de suas origens.

Produzida na Comarca do Serro, limite do município de Santo Antônio do Ibambé, região central de Minas Gerais, ela possui  aroma suave  e sem traços alcoólicos.

O sabor é forte, alcoólico, quente,  e ao contrário do que o aroma faz supor, fortemente amadeirado.

Ao degustá-la, a sensação é de que os tonéis de umburana em que ela é envelhecida são ainda muito jovens. O que causa de estranheza num primeiro momento, rapidamente se converte em fonte de prazer.


Cor: amarelo claro

Viscosidade: baixa
Aroma: levemente amadeirado
Sabor: fortemente amadeirado
Graduação: 40%
Apresentação: garrafa de 600ml


Salineira

Saborosa cachaça produzida em Salinas e armazenada em tonéis de bálsamo.

Seu aroma é suave, sutilmente amadeira e sem traços alcólicos.

O sabor é forte, alcoólico e quente,  mas muito agradável.

——————————————————————————————————

Cor: amarelo limão
Viscosidade: baixa
Aroma: levemente amadeirado
Sabor: forte
Graduação: 45%
Apresentação: garrafa de 600ml


Mandacaru Ouro

Legítima representante da qualidade mineira na produção de cachaça artesanal.

Esta preciosidade vale mais do que pesa. Apesar de ser uma cachaça de preço relativamente módico, possui qualidade, sabor e apresentação acima da média.

Méritos que lhe valeram a medalha Mérito da Qualidade no Concurso Cachaça de Minas.

Degustando, é fácil perceber o aroma da Umburana em que é envelhecida a versão Ouro.

O aroma é suave, sem traços alcólicos, e lembra algo defumado.

——————————————————————————————————
Cor: levemente amarelada
Viscosidade: média
Aroma: marcadamente amadeirado
Sabor: leve
Graduação: 40%
Apresentação: garrafa padrão de 700ml

www.cachacamandacaru.com.br


Baronesa

ÊTA TREM BÃO!

É fácil concordar com a frase estampada no rótulo desta cachaça muito leve e saborosa, de  excelente sabor e qualidade.

Mesmo sendo premiada e reconhecida, esta aguardente parou de ser produzida em 1995.

Original de Três Corações – MG é uma bebida envelhecida por 10 anos  em tonéis de carvalho.

——————————————————————————————————
Cor: dourada
Viscosidade: média
Aroma: floral
Sabor: suave, amadeirado, levemente adocicado
Madeira: Carvalho
Graduação: 40%
Apresentação: garrafa de louça de 500ml


Vale Verde

Eleita a melhor cachaça do Brasil pela revista Playboy, a Vale Verde sempre figura entre as melhores em qualquer seleção de que participe.

Quem passa pela grata experiência de degustá-la pode comprovar o que faz dela um produto de exclusivo sabor e excelente qualidade.

Esta Cachaça Extra Premium é produzida em Betim – MG, com puro suco de cana de açúcar e sem aditivos ou corantes.

Sua cor dourada é resultado dos três anos de envelhecimento em tonéis de carvalho especialmente importados da europa, cuidado que se faz presente no aroma amadeirado que se exala na degustação.

A bebida tem um sabor único, encorpado na medida certa para quem gosta de apreciar uma cachaça comparável aos melhores destilados do mundo.


Cor: dourada
Viscosidade: média
Aroma: marcadamente amadeirado
Sabor: encorpado
Madeira: Carvalho
Graduação: 40%
Apresentação: garrafa de 700ml


Maribondo

Muitas cachaças tem nomes curiosos, como essa Maribondo.

Mas o toque mais incomum fica por conta do reaproveitamento de vasilhames de outras bebidas e do rótulo de aspecto xerográfico.

Mas apesar da aparência amadora, é uma bebida de qualidade.

A cachaça é produzida em Guarabira no estado da Paraíba desde 1901, e orgulha-se de aproveitar apenas o coração da destilação na produção da bebida, que posteriormente repousa em tonéis de freijó para apurar o sabor.

No contra rótulo há um breve histórico da bebida e um educativo  exclarecimento sobre a sua produção.

Vai uma picada aí?

—————————————————

Cor: branca
Viscosidade: baixa
Aroma: alcoólico sutilmente amadeirado
Sabor: suave
Graduação: 40%
Apresentação: diversos tamanhos


Rapariga

Além de belas praias, o Ceará tem tradição em boas cachaças.

A alegria de descobrir novos sabores foi renovada com esta bebida destilada em alambiques artesanais,  produzida na Serra de Ibiapaba em Viçosa do Ceará.

A embalagem artesanal nos remete aos tempos em que a cachaça ainda era um produto rústico e pouco industrializado.

Nas primeiras provas estranhei o sabor amadeirado diferente de qualquer outro que já tivesse provado. Mas depois que o paladar se acostumou, foi fácil apreciar esta bebida de sabor exótico.

Cor: dourada
Viscosidade: média
Aroma: amadeirado leve
Sabor: moderado
Graduação: 38%
Apresentação: garrafas artesanais de diversos tamanhos

http://www.mamulengo.com.br


Matraga série prata

Cachaça bidestilada em alambiques de cobre, processada a partir do cultivo exclusivo de cana-de-açucar orgânica na cidade de Planalto – Sudoeste do Paraná.

Eu a conheci antes mesmo do início de sua comercialização, e devo a ela um considerável apuro no meu paladar.

É uma bebida extremamente cristalina, leve e de aroma suave. De paladar agradável,  é perfeita para elaborar drinques e coquetéis.

A maior parte da produção é exportada para a Europa, mas é possível encomendá-la diretamente com o fabricante.

Cor: branca
Viscosidade: média
Aroma: suave
Sabor: leve
Graduação: 41%
Apresentação: garrafa de  700ml

Fone/Fax (46) 3555-1440
alambique@matraga.com.br


Velha Porteira

Cachaça artesanal, de sabor forte e rústico. Indicada para quem gosta de viver perigosamente.

————————————————

Cor: branca
Viscosidade: baixa
Aroma: alcoólico marcante
Sabor: forte
Graduação: 38%
Apresentação: diversos tamanhos

(32) 3371-2642
Coronel Xavier Chaves – Minas Gerais


Natov’s

natov's

Um dos mais agradáveis prazeres da cachaça está ligado ao fato de que é uma bebida que se produz em todas as regiões do país. Isso lhe confere originalidade e gratas surpresas sempre que descobrimos pequenas marcas regionais.

A Natov’s é uma cachaça semi-artesanal produzida em pequena escala  na cidade de Nova Santa Rosa, região Oeste do Paraná.

Ela guarda as tradições das melhores cachaças do País, ou seja, produzida a partir de canavial próprio com seleção de bebida nas fases de destilação. Começou a ser produzida em escala individual para atender o consumo do proprietário e de seus amigos. A quantidade foi aumentando ao mesmo tempo que a experiência do produtor, sem perder o cuidado e a atenção nos detalhes.

Na versão dourada, possui um sabor levemente amadeirado e marcadamente alcólico, fácil de beber.

A versão natural é para quem aprecia cachaças mais rústicas.


Cor: branca ou dourada
Viscosidade: baixa
Aroma: alcoólico marcante
Sabor: moderado
Graduação: 40%
Apresentação: diversos tamanhos

(45) 3253-1159
Nova Santa Rosa – Paraná


%d blogueiros gostam disto: